Sobre problemáticos unidos

Domingo passado não consegui postar, nem ver filme. Já esse final de semana….

 

O filme de ontem hoje é Short Term 12.

short term 12

 

Eu queria que existisse uma categoria, um gênero chamado despretensioso.

1. Aquele que não tem pretensão; desprovido de objetivo específico; 2. Desinteressado, tranquilo

Seria o meu gênero favorito de filmes. Aqueles que não tentam ser algo mais do que realmente são, que não tentam te convencer de alguma coisa, ou ter algum objetivo do tipo mudar sua vida, ganhar dinheiro ou ser o novo filme indie/underground do momento…Eles são tranquilos (não necessariamente as historias, mas como estas são contadas), só estão ali pra contar aquela história e depois vão seguir em frente, independente de você ter gostado ou não do que eles falaram, se sorriu ou se chorou, ou até mesmo se identificou.

Qualquer história, seja de filme, livro ou até música, só se torna realmente interessante pra mim se eu conseguir me identificar com alguma coisa. E esse filme fez isso e aposto que vai fazer com muitas outras pessoas.

A sinopse, que está em inglês na imagem acima, diz: Um membro de apoio de supervisão de 20 e poucos anos de uma instituição residencial de tratamento navega nas águas turbulentas daquele mundo junto com seu colega de trabalho e namorado de longa data.

Clica na imagem pra ler a triste história da polvo Nina :~~

E eu acho que é quando você termina de ver o filme e depois lê a sinopse de novo que você tem certeza que ele é despretensioso. A sinopse nunca chega aos pés de tudo o que o filme tem a mostrar, e isso QUASE nunca acontece (principalmente quando é filme de terror, que a sinopse sempre é melhor). Não são como aqueles filmes que você assiste o trailer depois que assiste o filme, descobre que as melhores cenas estavam no trailer (motivo de eu não gostar de trailers haha). Com Short Term 12 é diferente, com essa sinopse você provavelmente nunca se imaginaria assistindo esse filme e gostando tanto.

A minha sinopse, sem falar de spoiler, seria: Um filme que retrata a rotina de uma pequena clínica de reabilitação para jovens problemáticos e seus empregados, outros jovens que usam seu tempo para ajudar. Conhecemos Grace, uma ótima e esforçada assistente, que passa por momentos delicados em sua vida pessoal, mas conta com o incrível namorado Mason, que junto com ela, transforma a vida de jovens desesperançosos.

Talvez a minha sinopse pareça melhor do que realmente era pra ser, mas tentei ser objetiva. O fato é que o filme vale a assistida sim, inclusive ficou a nota 8 no IMDb. Eu daria até 8.5, pra ser sincera. E olha, Brie Larson entrando pra minha lista de atrizes favoritas simples assim.