Aventuras: Do perrengue master

Segunda. Dia 3 de janeiro de 2011.

Diego já tinha ido embora. Luciana ia embora 12 e pouquinho. Ela e a Inês saíram pro Central Park cedo de manhã ( elas viraram a noite) e eu fui fazer compras (leia-se comprar blusas pro meu irmão).

Saí de vestido, sem meia, por causa da tattoo. Tinha perdido minhas luvas na noite de ano novo e não comprei outras. Ou seja, morri de frio. Pior, me PERDI e morri de frio. Na maioria das vezes meu senso de direção é fora do normal de bom. Só que minha cabeça é meio bagunçada. Por exemplo, a ponta da ilha de Manhattan é o que nós chamamos de downtown, o centro né. Então quando a gente tá no hostel, lá perto do Central Park e vai pra Times Square, por exemplo, a gente fala que vai ‘descer’. Deu pra sacar né? Só que meu cérebro não aceita essa ideia. Nele, o mapa de NYC está configurado de tal forma que a ponta de Manhattan (Wall Street, Downtown) tá no topo, ou seja, em cima. Então a ideia pra é pra sempre a de subir e não descer.

Complicações a parte, eu me perdi. E tava tão frio que eu fiquei entrando em todas as lojas possíveis pra me aquecer um pouco. Perdi quase uma hora meia andando andando andando, tentando me achar. Não que fosse dificil, eu tava com mapa e tudo bonitinho… Só que me perdi bem longe da onde eu queria chegar.

Anyway, finalmente achei o lugar, uma loja da Hollister (meu irmão; tirem suas próprias conclusões). De quebra ainda achei uma Best Buy (lá é o que mais tem olha…) e finalmente comprei o Ipod (ta na foto de lá da cabeça do blog, vê)… Beleza. Já era quase meio dia e a Luciana ia embora uma e pouco, então decidi pegar um táxi de volta pro hostel pra dar tempo de dar tchau (é hora de dar tchau).

Cheguei no hostel, subi e fui logo mexer no Ipod. Perdi a noção da hora. Já eram mais de 1h. Desci como um cometa mas já era tarde demais. A Luciana já tinha ido embora e a Inês tava me esperando pra sair. A lista de lugares foi relativamente grande: fomos a loja de design do Moma, Rockefeller Center, loja da Lego, St Patrick Cathedral, loja da Aple e a F A O Schwarz, loja de brinquedo do filme Big, onde o Tom Hanks e o Robert Loggia tocam o piano gigante:

Só que esse piano não é mais aí perto da entrada. Ele tem um lugar especial pra ele nos fundos e qualquer pessoa pode ir lá tocar. Eu tenho fotos, mas ainda estou colocando no flickr, então fiquem de olho lá se quiserem ver o resto das fotos.

Ai beleza, fomos pro metrô. Inês passa o cartão e vai. Na minha vez, eu descubro que to sem ‘crédito’ pra passar. Chego na máquina de comprar crédito, ela não esta aceitando cédulas. Uso o cartão de crédito, mas não tenho a senha dele. Resumindo, depois de meia hora e de juntar muita moeda (ainda com a ajuda da galera da fila), eu consegui passar. UFA.

Chegamos no hostel e a Inês tava meio mal do estômago. Dei um remédio pra ela e fiquei lá no quarto dela, usando a internet hehe. A dor dela não passou, na verdade piorou. TENSO. Fiquei lá mais uns dez minutos e nada da dor passar. Liguei pro namoradinho dela que trabalha no hostel, pra ele dar uma força (leia-se alguma ideia do que fazer, o que nós duas não tínhamos) e nada dele atender. Fiquei mais um tempo lá e resolvi descer, enquanto ela tentava dormir. Ainda eram cinco e pouco da tarde, fiquei enrolando na internet. Não demorou muito até a Inês aparecer e pedir pra eu tentar ligar pro Andre (o namoradinha dela) de novo, porque ela tava passando muito mal, não melhorava e a gente não sabia o que fazer. Consegui falar com ele. Enquanto ele ficava com ela no quarto, saí pra caçar um remédio. Veja bem, era quase meia noite nessa altura do campeonato. Eu fui, peguei o metrô forever alone e ainda andei um pouco numa rua escura e deserta, até chegar na farmácia. AGORA digue lá se meu santo não é forte??

Enfim, resumindo porque a noite foi longa, a Inês passou muito mal e uma e pouco da manhã a gente (eu e o Andre, porque nessa altura a Inês estava tipo assim, desmaiada) resolveu ligar pro 911. Ficamos horas no hospital esperando pra alguem vir dar SORO pra ela e alguma coisa pra dor. Foi uma coisa muito tensa. Minhas pernas não aguentavam mais e não tinha onde sentar. Fiquei lá das uma da manhã até as dez e meia, que foi quando o Andre chegou pra ficar com ela. Nessa altura do campeonato já era dia 4 de janeiro hehehe.

Então, próximo post será o ultimo dessa aventura. Aguardem!

Footoos

Então, vim aqui rapidão nessa noite tediande de sábado (vou já fazer uma visita à Mc, fome) pra me divulgar hehehehe.

Coisa básica e rápida. Meus dois flickrs:

* esmaltesdaclau – Sou louca por esmalte. Já falei isso aqui. Pra evitar ficar falando sobre isso toda hora, resolvi fazer um flickr só pra isso. E como conheço um pedólatras (é isso?)… fotos lá pra ele não vai faltar 😡

* clauscollection – minhas fotos do dia-a-dia… É tipo um fotlog, só que sem ego shot…hehehe, tipo diversão.

E é isso… volto mais tarrrrde.

Hoje é sexta.

E sexta a noite, o que é pior.

Já tenho um post bacana em mente pra esse findi. Por isso vou pegar SUPER light hoje.

Deixo aqui umas das minhas imagens pre-fe-ri-das:

Alguém mt especial uma vez me deu essa imagem impressa. *-* Essa pessoa sabia o quanto eu curto encarar aviões fazendo rastro de fumacinha no céu, a ponto de ficar tonta e rodopiar. Pena que o céu daqui é cheeeeio de núvem.

Espero que alguém curta.