Aventuras: do dia seguinte.

Voltei, por isso os posts nem são mais made in canada =(

Anyway.

Dia 1° de Janeiro de 2011.

Dia seguinte. Bom, eu acordei maravilhosamente bem às 11 e pouquinho. Levantei, me arrumei, desci. Encontrei o Diego no lounge com uma cara de acabado, mas ele tava acordado. Opa, vamos sair. Decidimos que iríamos fazer compras. Sim, minha gente, Diego curte fazer compras!!

Antes de sair, lembrei que em alguma parte do dia anterior a Luciana tinha comentado que queria ir ver alguma peça na Broadway. O Fantasma da Ópera. Meus olhos brilharam. Achei que só faria isso se um dia eu chegasse a ir pra NYC com a Larissa, até acho que
comentei com ela isso. Mas ali estava minha chance de ouro de fazer mais coisas legais.

Então fui no quarto das meninas e bati de leve. A Inês atendeu e tava com uma cara de sono ferrada. Falei pra ela dizer pra Luciana me esperar pra ir comprar os ingressos pro Musical. Missão cumprida, Inês voltou a dormir e eu e Diego saímos.

A ideia era ir na Century 21, fazer umas comprinhas e depois ir no Píer 17 (eu acho). E voltar antes das quatro, pra sair de novo e comprar o ingresso. Então fomos. Pegamos o metrô, descemos na estação e fomos andar. Claro que no caminho tinha nada mais nada menos que o lugar onde ficava o World Trade Center. E não é segredo nenhum que eles estão construindo outro, maior até.

NYC

Acho legal que minhas fotos ficaram todas assim, nesse tom cinza/azulado. Esse é o inverno, minha gente. Eu com certeza prefiro as cores do Outono… Até a primavera e o verão são lindos, mas esse ar sombrio do inverno é algo assim, inexplicável, parece coisa de outro mundo. Sem falar no estilo de vida que temos no inverno. As roupas maravilhosas e que me deixam com cara mais normal (me deixam menos magra hahaha) e o ato de comprar café (no meu caso, chocolate quente) por necessidade e não vaidade ou qualquer outro motivo que leve pessoas que moram no calor da pqp a tomar café como se estivessem na Europa como querer ficar mais tempo acordado. O inverno pode ser deprimente pra muitos, eu até entendo. Os dias são escuros e sem vida. Mas uma vez ou outra acabam me arracando sorrisinhos. Adoro demais.

Depois de caminhar um pouquinho mais, chegamos lá.

NYC

Não que fosse tão longe, saímos do hostel quase uma e chegamos lá quase duas. Decidimos fazer compras por uma hora. E às três eu já estava esperando o Diego terminar de pagar. Resolvemos voltar. O Diego iria embora no dia seguinte, de manhã. Daí ele ficou comentando sobre os planos malucos dele de ir de metrô, antes da meia noite e pegar o voo dele, sete manhã.

Chegamos no hostel lá pelas cinco e as meninas estavam acordadas. Levamos uma meia hora pra sair de novo. O Diego ficou arrumando a mala e com meu Ipod, tentando consertar o dele. A nossa intenção era ir na Best Buy e em algumas outras lojas pois a Luciana e a Inês tinham coisas pra comprar e depois ir comprar os ingressos do musical.

Na saída do metrô tinha um Dallas BBQ. Resolvemos parar lá pra comer. Na falta de batata-frita, pedi uma Caesar Salad. Já tinha experimentado essa salada antes, mas NUNCA tinha visto tanta folha na minha vida. Demorei quase uma hora pra comer e nem chegou perto do final. Anyway.

Fomos andar. Andar, andar, andar. Coisa boa que é andar e não sentir o tempo nem a distância passar. Nem suar, nem cansar. Fomos na Best Buy primeiro. Olhamos câmeras, netbooks, Ipods. IPODS.

“Ipod touch 4g 32GB 300 dólares. Poxa, tá barato né?
Tá sim! Acho que vou comprar um novo. Olha só o que ele tem: (passa mil anos mexendo no Ipod).
Caramba, que lindo, eu quero. Se você comprar eu compro.
Eu vou comprar.
Ok, eu também quero. (esta sou eu, maria-vai-com-as-outras).
We want an Ipod 32Gb.
Sorry, we don’t have the 32GB. It’s Sold Out.
FAIL.”

Sim. Não comprei nesse dia, mas me apaixonei por ele e encasquetei que queria. Eu, totalmente apaixonada pela BlackBerry ( o Bold), querendo algo da Apple.Sei não hein. Andamos mais, fomos em outras lojas e eu lá, pensando no Ipod. Fomos até em outra Best Buy, mas chegamos 15 minutos atrasadas. Compraria no dia seguinte.

Chegamos na Times Square. A Luciana foi pra loja de relógio e eu e a Inês, pra de tênis. Ficamos lá por mais de uma hora. A Luciana passou lá e disse que ia em algum lugar tirar dinheiro. Resumo da história, nos perdemos. Eu e Inês ainda procuramos, mas não achamos. Fomos para casa (hahahaha). End of the day.

Aventuras: do encontro com o novo

Dia 30 de dezembro de 2010.

Meu primeiro dia lá. Tinha chegado na noite anterior morrendo de cansaço. Acordei várias vezes durante a noite, porque meu sono é leve quando estou em situações perigosas. Digo, eu estava num albergue, dividindo um quarto com uma menina que eu nem sei quem é e sem cadeado pras minhas coisas. Ou seja, lá estava eu acordando toda vez que ouvia passos, pra ver se tinha alguém mexendo nas minhas coisas. Mas meu santo (anjo da guarda) deu aquela força e nada aconteceu.

Acordei no dia seguinte 9:30 (10:30 em Manaus). Por sorte a minha roommate já tinha saído, melhor, ido embora mesmo. Daí levantei, peguei minhas coisas, fui pro banheiro e saí. Na noite anterior o cara da recepção já tinha me falado que eu não ia poder ficar no mesmo quarto que o Diego e disse que ele tava no 505. Fui bater lá de manhã, sem resposta.

Fui pro lounge congelante, pra ficar pagando 1 dólar por cada 10 minutos pra usar a net. Dei sinal de vida e enrolei lá por uns minutos. Aí simplesmente o Diego apareceu. Contei pra ele dos atrasos e tudo mais. Falei também que a gente precisava sair logo pra ir pegar os ingressos da festa de ano novo.

Saímos do hotel rumo à 21st Street, entre a 5° e a 6° Ave. Descemos em algum lugar que eu não me lembro agora. Mas era perto. Achamos o lugar de pegar ingressos rapidinho. Depois demos uma volta, tiramos algumas fotos…

the Flat Iron Building

e

Madison Square Park

e continuamos a caminhar… Daí o Diego decidiu que queria ir no museu do sexo. E lá fomos nós. Museu interessante, cheio de história e informações relevantes, mas não muito o que esperava. Anyway, tem algumas fotos de lá no flickr. Depois continuamos a caminhar, entrei numa loja de roupas antigas e comprei um óculos. Comi na McDonalds e continuamos a andar pela 5° avenida e tal. Passamos pela Times Square eu fui onde???

Gastei 126 dólares aí brincando. Comprei cinco esmaltes e sombras da Kat Von D. Um dia eu posto a foto e falo mais dele. Tem muitas coisas lindas nessa loja e eu achei ela razoavelmente barata. Só faltou mesmo ter mais opções… Anyway…

Voltamos pro albergue (hostel). O Diego tinha me falado que tinha ficado amigo de umas meninas brasileiras de lá, e que tava andando com elas nesses dias. E foi aí que eu conheci a Luciana. Acabou que ela e a amiga dela iriam pra mesma festa de ano novo que a gente, que já era no dia seguinte.

Papo vai, papo vem, ela queria que a gente fosse com ela pra Times Squares. A gente (eu e o Diego) saiu por volta das 11h da manhã e só voltamos 6 da tarde. A gente já tinha ido na Times Square. Falei que tava cansadona. O Diego queria ir, mas tava preocupado com a grana dele. Eu sei que eu subi pra dormir, porque já tinha andado pra cacete.

Amanhã tem mais!